Arquivo da categoria: Entrevista

Greenwashing pode estar com os dias contados

O estudante de jornalismo da UniRitter Nando Donel entrevista Ricardo Voltolini no segundo dia do Seminário Internacional da Virada Sustentável em Porto Alegre – Crédito: Roberto Villar Belmonte
O estudante de jornalismo da UniRitter Nando Donel entrevista Ricardo Voltolini no Seminário Internacional da Virada Sustentável em Porto Alegre – Crédito: Roberto Villar Belmonte

“A empresa não muda por livre e espontânea vontade, ela muda porque a sociedade muda, ela muda porque a ciência muda, porque os valores mudam, então as empresas estão acompanhando esse movimento e mudando também”, explica Ricardo Voltolini nesta entrevista exclusiva concedida durante o Seminário Internacional da Virada Sustentável, realizado no primeiros dias de abril em Porto Alegre.

Por Nando Donel
Jornalismo Ambiental / Noite

Diante dos desafios da sustentabilidade, as empresas estão se modificando. Para o diretor-presidente da consultoria Ideia Sustentável, Ricardo Voltolini, não é mais concebível, com todos os problemas ambientais vistos nos últimos anos, que uma empresa para obter lucro, trabalhe de forma que prejudique o meio ambiente e as pessoas. No entanto, ressalta o consultor, “a empresa não muda por livre e espontânea vontade, ela muda porque a sociedade muda, ela muda porque a ciência muda, porque os valores mudam”. Continue lendo Greenwashing pode estar com os dias contados

Rubén Pesci: urbanismo e sustentabilidade devem estar de mãos dadas

Rubén Pesci, referência na área de urbanismo – Crédito: Arquivo Pessoal
Rubén Pesci, referência na área de urbanismo – Crédito: Arquivo Pessoal

O arquiteto argentino Rubén Pesci fala nesta entrevista exclusiva concedida ao blog de Jornalismo Ambiental da UniRitter como seria a sociedade ideal e questiona a forma com que a sustentabilidade é aplicada nas construções modernas.

Por Rafael Bernardes
Jornalismo Ambiental / Noite

Arquiteto argentino, nascido em La Plata, 73 anos, Rubén Pesci é referência na área de arquitetura e urbanismo. O fechamento do seminário da Virada Sustentável de Porto Alegre, ocorrido nos 1 e 2 de abril, contou com sua palestra sobre desenvolvimento sustentável. Além de ser formado em arquitetura, Rubén cursou pós-graduação em Roma, com Bruno Zevi, e em Veneza, com Giancarlo de Carlo, Sérgio Los, Humberto Eco e Tomás Maldonado.

Em 1974, criou a Fundação CEPA, referência na América Latina em projetos ambientais, e a Revista Ambiente. No ano de 1989, criou o Foro Latino Americano de Ciências Ambientais (Flacam), que conta com 40 sedes em países como Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Chile, Espanha, México, Paraguai, Peru e Venezuela. Hoje, a Flacam é cátedra Unesco para o Desenvolvimento Sustentável.

As obras e ideias em arquitetura, urbanismo, planejamento e desenvolvimento sustentável do arquiteto foram premiadas e publicadas em mais de 300 artigos em 15 países. Além disso, é autor de 10 livros sobre desenvolvimento sustentável e questões ambientais.

O arquiteto questiona há mais de 20 anos a forma como a sociedade trata os assuntos ambientais na área do urbanismo. Em entrevista exclusiva para o blog de Jornalismo Ambiental, Rubén Pesci conta como foi palestrar na primeiraVirada Sustentável de Porto Alegre e opina sobre assuntos como arquitetura e urbanismo de forma sustentável, sociedade ideal e propriedade privada. Continue lendo Rubén Pesci: urbanismo e sustentabilidade devem estar de mãos dadas

Jorge Furtado: arte e a sua função de ensinar

Furtado explica como foi a construção para elaborar o filme “Ilha das Flores” – Crédito: Rayana Garay

Em entrevista exclusiva ao blog de Jornalismo Ambiental da UniRitter, o cineasta Jorge Furtado fala sobre os principais problemas que afetam o meio ambiente e reflete sobre o que podemos mudar no cenário atual das nossas cidades.

Rayana Garay Cândido
Jornalismo Ambiental / Noite

O diretor e roteirista Jorge Furtado foi um dos destaques deste ano da primeira edição da Virada Sustentável de Porto Alegre. Na ocasião, Furtado explicou sobre o filme “Ilha das Flores” que trata o problema do descarte do lixo na Ilha dos Marinheiros, em um tema intrigante para o público que o assiste.  Nove dias depois do evento, o diretor recebeu a reportagem do blog de Jornalismo Ambiental da UniRitter na Casa de Cinema de Porto Alegre, que fica localizada no bairro Bom Fim.

Em especial,  a conversa foi direcionada a um dos principais filmes sobre a sustentabilidade no Estado do Rio Grande do Sul, que para época de 1989, ano que foi lançado o curta “Ilha das Flores”, foi considerado uma novidade, pois a indústria cinematográfica não explorava tanto o tema. Furtado assina trabalhos consagrados como: “O Homem que Copiava” (2003), “Doce de Mãe” (2012) e “O Mercado de Notícias” (2014). Também coleciona diversos prêmios, tais como: melhor diretor e roteiro no Prêmio Cinema Brasil e  melhor roteiro no Festival de Cinema de Miami (2003).

Nesta entrevista, o cineasta Jorge Furtado fala sobre o descarte do lixo,  sustentabilidade, a arte como forma de conscientização e o curta “Ilha das Flores”.  Continue lendo Jorge Furtado: arte e a sua função de ensinar

A volta da zona rural de Porto Alegre

Zona rural agora ocupa menos de 9% do território de Porto Alegre -  Crédito: PMPA / Divulgação
Zona rural agora ocupa menos de 9% do território de Porto Alegre –  Crédito: PMPA / Divulgação
A arquiteta Andrea Oberrather, da Secretaria Municipal de Urbanismo (Smurb), coordenou um grupo de trabalho que começou em 2010, junto a outras secretarias da Prefeitura de Porto Alegre, para elaborar um plano estratégico para a zona sul de Porto Alegre. Nesta entrevista, ela conta como aconteceu este processo, e avalia os desafios ambientais e econômicos deste novo capítulo da Zona Rural da capital gaúcha.

Por Luiz Otávio Vieira Rodrigues
Jornalismo Ambiental / Manhã Continue lendo A volta da zona rural de Porto Alegre

Arno Kayser: Ecologia em dias tão confusos

Arno Kayser discute em seu novo livro os principais problemas ambientais do século XXI - Crédito: Andre Neves
Arno Kayser discute em seu novo livro os principais problemas ambientais do século XXI – Crédito: Andre Neves
Na sexta-feira, 30 de outubro,o escritor, agrônomo e ecologista Arno Kayser lançou na 61ª Feira do Livro de Porto Alegre sua nova obra chamada “Ecologia em dias tão confusos”. O livro, edição da Edipuc e Mundo Jovem, reúne artigos sobre a temática ambiental em todas as suas dimensões. Em um período tão confuso, o livro propõe a busca de rumos a partir da contemplação da natureza buscando orientação para a prática cidadã em busca de um mundo ecologicamente sustentável, explica o autor, que também é funcionário concursado da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), nesta entrevista concedida ao Blog de Jornalismo Ambiental da UniRitter.

Por Andre Neves
Jornalismo Ambiental / UniRitter

Como foi pensar e produzir esse livro?
Arno Kayser: Esse livro é uma coletânea de artigos que escrevi nos últimos oito a dez anos principalmente para a Revista Mundo Jovem, que é a que fez a edição do livro, mas também textos que produzi para assessorias que dei para grupos de formação de liderança nessa área de meio ambiente. Várias vezes recebo convites para fazer palestras, e o pessoal sempre pede pra eu escrever textos sobre o tema do evento, fui compilando esses materiais e desde 2011 tenho um blog com esse subtítulo, Ecologia em dias tão confusos. Reuni todos os textos, conversei com o editor da Revista Mundo Jovem e decidimos que seria interessante fazer um livro e publicar, e a partir disso começamos a produzi-lo. Continue lendo Arno Kayser: Ecologia em dias tão confusos

Instituto Augusto Carneiro busca parcerias para enfrentar os dilemas ambientais

Nely Blauth e Kathia Vasconcellos Monteiro na sede do Instituto Carneiro, localizada na avenida Érico Veríssimo no bairro Menino Deus em Porto Alegre – Crédito: Luiz Otávio Vieira Rodrigues
Nely Blauth e Kathia Vasconcellos Monteiro na sede do Instituto Carneiro, localizada na avenida Érico Veríssimo no bairro Menino Deus em Porto Alegre – Crédito: Luiz Otávio Vieira Rodrigues

Por Luiz Otávio Vieira Rodrigues  
Jornalismo Ambiental / Manhã

A reportagem do blog de Jornalismo Ambiental da UniRitter conversou com a presidente do Instituto Augusto Carneiro, Kathia Vasconcellos Monteiro, na sede da entidade criada em 2010. Nesta entrevista, a ecologista anuncia uma nova campanha para preservação da baleia Franca no Rio Grande do Sul, fala da luta pela conservação da Mata Atlântica e explica a parceria estabelecida com CMPC Celulose Riograndense, fábrica quadruplicada recentemente em Guaíba (RS), pertencente a um grupo empresarial chileno.

Continue lendo Instituto Augusto Carneiro busca parcerias para enfrentar os dilemas ambientais

“Um dos maiores desafios da Agapan atualmente é a censura empresarial”

Alfredo Gui Ferreira, presidente da Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural (Agapan) - Crédito: Pedro Montiel
Alfredo Gui Ferreira, presidente da Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural (Agapan) – Crédito: Pedro Montiel
Você conhece a Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural? Criada em 1971, a Agapan foi uma das primeiras ONGs a lutar pela proteção do meio ambiente no Brasil. Nesta entrevista, o atual presidente da entidade, Alfredo Gui Ferreira, fala das principais dificuldades da luta ambiental e defende a necessidade de um órgão ambiental forte no Rio Grande do Sul.

Por Pedro Montiel
Jornalismo Ambiental / Manhã

A Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural nasceu em 1971, contexto complicado da ditadura militar, em meio a manifestações reprimidas onde a ecologia foi a válvula de escape. Os militares desconheciam e achavam insignificante a militância que ali começava, enquanto a mídia cobria com grande eloquência já que era um assunto livre dentre os censurados da época. A partir daí ganhou força e se estabeleceu como referência nacional em questões ambientais. Continue lendo “Um dos maiores desafios da Agapan atualmente é a censura empresarial”

Ativismo e pé no barro: a história de Eduino de Mattos

Ambientalista gaúcho Eduino de Mattos - Crédito: Arquivo Pessoal
Ambientalista gaúcho Eduino de Mattos – Crédito: Arquivo Pessoal
Atuando como ativista ambiental e fotógrafo, um aposentado de 69 anos se embrenha em qualquer tema que possa afetar a vida das pessoas, não se limita aos rótulos e com certeza não tem medo de cara feia.

Por Jean Lazarotto
Jornalismo Ambiental / Noite

Fazendo uma pesquisa sobre os rios que cortam a cidade de Porto Alegre, descobri o vídeo de um senhor narrando a situação do arroio Cavalhada. Vi um personagem solitário que denunciava as más condições ambientais. Nas matérias relacionadas, encontrei mais vídeos semelhantes e um vasto currículo: participação em assembleias públicas e reuniões de órgãos ambientais, comentários indignados retrucando matérias publicadas pelos gigantes da mídia, acervos fotográficos e denúncias, muitas denúncias de irregularidades ambientais e descaso com a população. Eu havia “descoberto” Eduino de Mattos, e precisava ouvir sua história. Continue lendo Ativismo e pé no barro: a história de Eduino de Mattos

Eduardo Jorge: “Temos que trabalhar pela qualidade de vida de nossa cidade”

Eduardo Jorge durante o seminário Cidade Bem Tratada 2015 – Crédito: Cidade Bem Tratada / Divulgação
Eduardo Jorge durante o seminário Cidade Bem Tratada 2015 – Crédito: Cidade Bem Tratada / Divulgação

Por Júlia Resende
Jornalismo Ambiental / Manhã

Eduardo Jorge foi um dos palestrantes do seminário Cidade Bem Tratada 2015, realizado em Porto Alegre nos dia 18 e 19 de maio. Médico com especialização em Medicina Preventiva, ele já trabalhou como médico sanitarista da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. Na área da política, concorreu à presidência da República na eleição passada pelo Partido Verde. Já foi duas vezes secretário municipal de Saúde de São Paulo. Confira a seguir os principais trechos da entrevista concedida ao Blog de Jornalismo Ambiental da UniRitter.

Continue lendo Eduardo Jorge: “Temos que trabalhar pela qualidade de vida de nossa cidade”

Lara Ely: “A pauta ambiental é transversal”

Lara Corrêa Ely é graduada em Jornalismo pela Famecos/PUCRS e tem mestrado na mesma faculdade com projeto de pesquisa em jornalismo ambiental - Credito: Arquivo Pessoal
Lara Corrêa Ely é graduada em Jornalismo pela Famecos/PUCRS e tem mestrado na mesma faculdade com projeto de pesquisa em jornalismo ambiental – Crédito: Arquivo Pessoal

A jornalista Lara Ely, setorista de meio ambiente do jornal Zero Hora de Porto Alegre (RS), relata nesta entrevista os seus primeiros passos no jornalismo ambiental e fala sobre as dificuldades que enfrenta atuando na área.

Por William Dias
Jornalismo Ambiental / Manhã

Nascida curiosamente em um dia que nevou na cidade de Porto Alegre, no 24 de agosto de 1984, Lara Corrêa Ely começou a “carreira” de jornalista no jornal do colégio, o Alarido, onde escrevia poesias, notícias sobre as gincanas que organizava, olimpíadas e temas variados. Selecionada na promoção “Seja jornalista por um dia”, com 11 anos publicou pela primeira vez no jornal Zero Hora. Lembra como se fosse hoje da acolhida que recebeu na redação do jornalista Carlos Urbim (1948-2015), um dos melhores textos da imprensa gaúcha. Naquele dia a pequena Lara virou jornalista. Continue lendo Lara Ely: “A pauta ambiental é transversal”