As dificuldades de pedalar em Porto Alegre

Em um trânsito cada vez mais caótico e ciclovias com problemas, quem opta por usar a bicicleta na capital gaúcha enfrenta um cenário adverso.

DSC03618Andar de bicicleta em Porto Alegre pode ser encarado como um desafio. Já pensou desviar, todos os dias, de motoristas nervosos e estressados em um trânsito cada vez mais caótico? Ou então ter, depois de muito tempo de lutas e discussões, um local exclusivo para o uso de sua bike, mas ele ser utilizado, ou melhor dizendo invadido, por pessoas que não deveriam estar ali? Ou pior ainda ser encarado como um estorvo, algo que atrapalha a fluidez de nosso bom e velho trânsito planejado para nossos lindos e robustos veículos automotores? Os ciclistas da capital dos gaúchos enfrentam esses problemas todos os dias.

Texto e fotos: Anderson Aires
Jornalismo Ambiental / Manhã

De acordo com dados da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), somente no último ano (2013) ocorreram 230 acidentes envolvendo ciclistas em Porto Alegre, com nove vítimas fatais, quase o dobro de 2012 que teve cinco mortes. Segundo dados do Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran/RS), no primeiro trimestre deste ano 31 ciclistas morreram no estado do Rio Grande do Sul, o que da uma média, assustadora, de um ciclista morto a cada três dias no RS. Continue lendo As dificuldades de pedalar em Porto Alegre

O futuro sem alimento

Crédito: Fernando Dias / FZB-RS
Crédito: Fernando Dias / FZB-RS

As primaveras do futuro terão menos flores; as mesas de jantar, menos alimento. Alguns legumes, frutas e sementes serão extintos, enquanto outros se tornarão produtos de luxo com valores elevados nos supermercados. Um holocausto silencioso se instaurou entre várias espécies de abelhas em todos os continentes, reduzindo as populações desses insetos responsáveis por cerca de 80% da polinização dos cultivos do planeta. As consequências se traduzem no agravamento da nossa já existente crise alimentar, que afetará diretamente aos humanos e colocará diversas espécies em risco de extinção.

 

Massey Ferguson / Divulgação

2º lugar na categoria Estudante do 13º Prêmio Massey Ferguson de Jornalismo (2014)

 

 

 

 

Por Paola Rebelo Casagrande
Jornalismo Ambiental – Manhã

Desde o final da década de 1960, especialistas em diversas partes no mundo começaram a notar uma abrupta redução nas populações das abelhas na Europa, e não tardou a começar a se notar o sumiço desses insetos em vários outros países, tais como no Egito, Japão, China e Austrália. O fenômeno que ficou conhecido como Distúrbio do Colapso das Colônias (CCD na sigla em inglês) pode desencadear uma crise alimentar grave em todo o planeta e, por consequência, afetar as economias de diversos países que se utilizam da agricultura para gerar capital. Após anos de pesquisa, ainda não se detectou o principal agente por trás da extinção desses insetos, mas os cientistas sugerem uma complexa interação de diversas causas como responsáveis por esse distúrbio, entre elas o aquecimento global, as monoculturas, as queimadas e o desmatamento. Continue lendo O futuro sem alimento