Francisco Aquino: RS precisa investir em logística para enfrentar mudança do clima

Falta logística no Rio Grande do Sul para enfrentar fenômenos climáticos intensos - Crédito: INPE
Falta logística no Rio Grande do Sul para enfrentar fenômenos climáticos intensos – Crédito: INPE
O tornado que atingiu o município de Xanxerê, na região oeste de Santa Catarina, no dia 20 de abril, deixou um rastro de dúvidas: estamos preparados para enfrentar fenômenos climáticos cada vez mais intensos?

Por Priscila Valério
Jornalismo Ambiental / Noite

O que vai acontecer no Rio Grande do Sul com a mudança do clima? A tendência é mais calor e chuva. O volume de precipitações já aumentou 8% em relação aos padrões históricos de 1945 até 1974, informa o chefe do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Francisco Aquino, em entrevista ao blog de Jornalismo Ambiental da UniRitter. Continue lendo Francisco Aquino: RS precisa investir em logística para enfrentar mudança do clima

Mudança do clima nos EUA: entre a destruição e a sustentabilidade

Aluna de Jornalismo da UniRitter de Porto Alegre (RS) relata estudos sobre mudança do clima e aquecimento global realizados na Santa Fe University of Art and Design no Novo México, sudoeste dos Estados Unidos, uma das instituições de ensino da rede Laureate International.

Por Luiza Guerim
Estudante de Jornalismo da UniRitter

Morei quatro meses nos Estados Unidos e estudei na Santa Fe University of Art and Design, no sudoeste do país. Uma das quatro disciplinas que cursei foi Climate Change & Global Warming (em português, Mudança do Clima & Aquecimento Global). Antes do início das aulas, estava um pouco incrédula e pensava: que autoridade os norte-americanos – um dos responsáveis diretos pelas mudanças climáticas que estamos enfrentando – têm para falar de sustentabilidade e meio ambiente? Foi um semestre de surpresas, descobertas e esclarecimentos. Continue lendo Mudança do clima nos EUA: entre a destruição e a sustentabilidade

Descobrindo Amsterdã

Amsterdã é a cidade das bicicletas - Crédito: Guilherme Gottardi
Amsterdã é a cidade das bicicletas – Crédito: Guilherme Gottardi
 Após alguns anos contando moedas, aproveitei uma daquelas ‘promoções relâmpago’ para fazer minha primeira viagem ao exterior. O menino do interior criado pela avó materna não escondia a felicidade em conhecer um novo país, mesmo sendo por poucos dias. O destino escolhido foi Amsterdã, também conhecida como a melhor cidade do mundo para andar de bicicletas.

Por Guilherme Gottardi
Jornalismo Ambiental / Noite

Quando penso em bicicleta, logo tenho pesadelos, pois caí de uma quando criança e arranjei uma cicatriz horrenda na minha testa; mas também lembro de qualidade de vida, mobilidade urbana, economia e todos os bens que uma bike pode nos trazer. É nítida a melhora do trânsito em cidades que investem na inserção de ciclovias para melhorar as condições de mobilidade. Continue lendo Descobrindo Amsterdã

Marcelo Tcheli: “Hoje eu trabalho com natureza”

Bioconstrutor Marcelo Tcheli, do sítio Recanto da Mata, localizado no interior de Maquiné (RS) – Crédito: Mariela Moraes Kessler

Uns trabalharam em escritório, de terno e gravata, no meio da loucura das grandes cidades; outros têm o privilegio de trabalhar e viver no meio da natureza, respirando ar puro e se alimentando do que ela oferece. Uma dessas pessoas é Marcelo Tcheli, 38, bioconstrutor e agricultor que vive de forma totalmente sustentável em seu sítio no litoral do Rio Grande do Sul.

Por Mariela Moraes Kessler
Jornalismo Ambiental / Noite

Localizado no município de Maquiné (RS), no meio da Mata Atlântica, o sítio Recanto da Mata é rico em paisagens e ar puro. Lá se ouve a todo momento o som dos animais. É o ambiente perfeito para quem quer se desligar do mundo urbano. Sinal de internet? Nem pensar. Marcelo recebeu a reportagem do blog de jornalismo ambiental da UniRitter em seu “recanto” em um dia chuvoso, mas nem o mau tempo foi capaz de estragar a beleza desse lugar quase desconhecido. Continue lendo Marcelo Tcheli: “Hoje eu trabalho com natureza”

Estamos preparados para uma crise hídrica?

Arroio Capivara, no bairro Ipanema, é uma das fontes de poluição do lago Guaíba que abastece Porto Alegre (RS) – Crédito: João Pedro Zettermann

Os avisos foram dados por muitos anos. Diversas pesquisas feitas por especialistas apontavam que o Brasil seria vitimado por uma crise hídrica no decorrer dos anos. O desperdício excessivo da água cobraria um preço com o passar do tempo, e esse tempo parece ter chegado.

Por João Pedro Zettermann
Jornalismo Ambiental / Noite

São Paulo, uma das maiores e mais influentes cidades do Brasil, já sofre de maneira muito forte com o problema e, pelo visto, Porto Alegre não está muito longe de sofrer com isso também. Continue lendo Estamos preparados para uma crise hídrica?

Maquiagens orgânicas: bom para saúde e para o meio ambiente

Diante das opções de cosméticos encontradas no mercado, é cada vez mais difícil saber quais são aqueles que são menos prejudiciais ao meio ambiente e a nossa saúde. A Alva NaturKosmetik é uma marca alemã que chegou ao Brasil por intermédio da empresária Ananda Boschilia. Como no Brasil ainda não existe uma legislação para os cosméticos, o que difere um produto orgânico de um convencional são as certificadoras, entre elas a francesa Ecocert.
Empresária Ananda Boschilia, responsável por trazer a marca Alva para o Brasil – Crédito: Arquivo Pessoal
Empresária Ananda Boschilia, responsável por trazer a marca Alva para o Brasil – Crédito: Arquivo Pessoal

Por Marcella Schaurich
Jornalismo Ambiental/Noite

Não é modismo, nem foi criado agora por causa da onda verde que permeia as grandes ações de marketing. A Alva NaturKosmetik, marca de cosméticos naturais e orgânicos, existe há mais de 25 anos, nasceu na Alemanha e está fincando raízes no Brasil. A marca possui doze linhas, entre elas a primeira linha de maquiagem orgânica, vegana e certificada do Brasil. Continue lendo Maquiagens orgânicas: bom para saúde e para o meio ambiente

InGá, um instituto em defesa da biodiversidade

ONG de Porto Alegre busca, através de ações e debates, construir uma sociedade sustentável.

Coordenador do Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais, Paulo Brack – Crédito: Apedema / Divulgação
Coordenador do Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais, Paulo Brack – Crédito: Apedema / Divulgação

Por Rafaela Barboza
Jornalismo Ambiental / Noite

Agir localmente e pensar mundialmente, trabalhar pela transformação social, promovendo a justiça socioambiental e modos de vida saudáveis, em harmonia com a natureza, é o lema que o Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais (InGá) acredita e leva como bandeira para o desenvolvimento de um planeta sustentável.

Continue lendo InGá, um instituto em defesa da biodiversidade

Aos poucos, Porto Alegre descobre a bicicleta

Em meio ao caos nas vias da capital gaúcha, surge uma alternativa saudável – não só para o ser humano, como para o meio ambiente. A bicicleta está sendo vista como a melhor alternativa sustentável para escapar dos transtornos motorizados.

As ciclovias, além de proporcionarem segurança nos trajetos do dia-a-dia, auxiliam no lazer e na prática de exercícios – Crédito: Bruna Fonseca
As ciclovias, além de proporcionarem segurança nos trajetos do dia-a-dia, auxiliam no lazer e na prática de exercícios – Crédito: Bruna Fonseca

Por Bruna Fonseca
Jornalismo Ambiental / Manhã

Existem pessoas que, além de pensar ecologicamente e sonhar com um mundo melhor para as gerações futuras, colocam suas filosofias de vida em prática. A Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta (Mobicidade) foi criada em 2012, em Porto Alegre, por pessoas que defendem o desenvolvimento de uma cidade que valorize políticas públicas que beneficiem todos os usuários de meios de transporte não motorizados. Continue lendo Aos poucos, Porto Alegre descobre a bicicleta

Reciclagem, lição da escola para casa

A escola de ensino fundamental Otávio Mangabeira, localizada no bairro Camaquã, na zona sul de Porto Alegre, desenvolve desde 2013 um projeto para ensinar aos alunos a importância da reciclagem correta dos materiais.

Jardim feito por alunos da escola Otávio Mangabeira com materiais reciclados doados pelas famílias dos estudantes – Crédito: Gabriel Ribeiro
Jardim feito por alunos da escola Otávio Mangabeira com materiais reciclados doados pelas famílias dos estudantes – Crédito: Gabriel Ribeiro

Por Gabriel Ribeiro
Jornalismo Ambiental / Manhã

Um sábado quente, no mês de março, dia em que alunos da escola Otávio Mangabeira estavam em um parque na zona sul de Porto Alegre. Professores sentados na grama tomando chimarrão, alunos brincando nos balanços, jogando bola, pais conversando com os educadores. Eu me aproximo de uma das professoras que me acolhe e me oferece um chimarrão. Ela me leva até uma mãe sentada em um banco. Mulher humilde vendo os garotos jogar bola, mas principalmente vendo seu filho. Continue lendo Reciclagem, lição da escola para casa

Uma vida sem agrotóxicos é possível

Em um mundo no qual a alimentação saudável e totalmente longe de produtos químicos se torna realidade, por que não optar por essa alternativa?

Produtos sem agrotóxicos vendidos na Feira dos Agricultores Ecologistas realizada em Porto Alegre (RS) todos os sábados pela manhã na José Bonifácio, mesma rua do Brique da Redenção – Crédito: Mariana Tripoli
Produtos sem agrotóxicos vendidos na Feira dos Agricultores Ecologistas realizada em Porto Alegre (RS) todos os sábados pela manhã na José Bonifácio, mesma rua do Brique da Redenção – Crédito: Mariana Tripoli

Por Mariana Tripoli
Jornalismo Ambiental / Manhã

Mesmo com todas as tecnologias e o acesso às informações que nos rodeiam, muitos ainda não sabem a quantidade de elementos químicos que podem estar presentes durante as nossas refeições. Agrotóxicos são usados de maneira abusiva nas grandes lavouras para evitar parasitas e doenças.

O Brasil está no cenário mundial como o maior consumidor de agrotóxicos, seguido pelos Estados Unidos, de acordo com o estudo Regulation of Pesticides: A Comparative Analysis, publicado em 2013 pela Universidade de Oxford. Continue lendo Uma vida sem agrotóxicos é possível