O rio Gravataí sob as lentes da esperança

1545650_571559699603226_755785238_n

Produção independente lançada em 2013, o documentário “Gravataí – Um Rio em Minha Vida” apresenta um lado pouco conhecido da população e renova o espírito esperançoso sobre um dos rios mais poluídos do Brasil.

Por Estevan Gonçalves
Jornalismo Ambiental / Manhã

Realizar um documentário não é fácil. Leva tempo e dinheiro, ainda mais se a produção for independente. O jornalista Andrei Fialho e o historiador Amon da Costa tinham tudo para desistir, mas a vontade de “apresentar” o Rio Gravataí à população falou mais alto. Amigos de longa data, os dois lançaram, em 2013, o documentário “Gravataí – Um Rio em Minha Vida”, que mostra a rotina de um rio ignorado pela sociedade. “Todos os outros documentários do rio, bem como suas campanhas, tratam o Gravataí como se estivesse morto e bem deteriorado – o que em partes é verdade. Queríamos dar um tom de esperança e que o rio está vivo e valente”, conta Fialho. Continue lendo O rio Gravataí sob as lentes da esperança

Eduardo Jorge: “Temos que trabalhar pela qualidade de vida de nossa cidade”

Eduardo Jorge durante o seminário Cidade Bem Tratada 2015 – Crédito: Cidade Bem Tratada / Divulgação
Eduardo Jorge durante o seminário Cidade Bem Tratada 2015 – Crédito: Cidade Bem Tratada / Divulgação

Por Júlia Resende
Jornalismo Ambiental / Manhã

Eduardo Jorge foi um dos palestrantes do seminário Cidade Bem Tratada 2015, realizado em Porto Alegre nos dia 18 e 19 de maio. Médico com especialização em Medicina Preventiva, ele já trabalhou como médico sanitarista da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. Na área da política, concorreu à presidência da República na eleição passada pelo Partido Verde. Já foi duas vezes secretário municipal de Saúde de São Paulo. Confira a seguir os principais trechos da entrevista concedida ao Blog de Jornalismo Ambiental da UniRitter.

Continue lendo Eduardo Jorge: “Temos que trabalhar pela qualidade de vida de nossa cidade”

Guaíba: fonte de vida em perigo

Há mais de 50 anos, a poluição do Guaíba é pauta de debates e projetos. O documentário Guaíba: Fonte de Vida em Perigo aborda a situação do lago, que há décadas sofre com poluição direta e indireta procedente de esgotos não canalizados, descarte de lixo incorreto e poluição industrial. O lago, que tem extensão correspondente a toda área da capital gaúcha, recebe carga poluidora não apenas da Grande Porto Alegre, mas dos mais de 250 municípios que integram a região hidrográfica do Guaíba. Com depoimentos de moradores e declarações de especialistas e representantes dos órgãos responsáveis, o documentário traz um alerta para autoridades e cidadãos refletirem sobre o lago Guaíba, fonte de vida e alimento dos gaúchos.

Continue lendo Guaíba: fonte de vida em perigo

O clima e o mar

Cientistas do clima afirmam que o nível do mar pode aumentar 1,5 metro - Crédito: Flávio Fachel / Palácio Piratini
Cientistas do clima afirmam que o nível do mar pode aumentar 1,5 metro – Crédito: Flávio Fachel / Palácio Piratini
O aquecimento global tem mudado o comportamento da Terra e elevado o nível médio dos oceanos – um perigo tão grande que pode submergir uma nação inteira e destruir parcialmente muitas outras.

Por Leonardo Pujol
Jornalismo Ambiental / Noite

Debruçada sobre o parapeito da cobertura de um edifício antigo, localizado na avenida Nossa Senhora de Copacabana, Loci Prux, 53 anos, divaga os pensamentos na região litorânea mais famosa do Brasil. A 12 andares de altura, seu olhar é como se reparasse cada apartamento dos prédios do lado oposto da via – quase todos iguais ao que está, construído na década de 1930. Continue lendo O clima e o mar

A polêmica proposta de privatização do Zoo de Sapucaia do Sul (RS)

Zoológico de Sapucaia do Sul é visitado por mais de 700 mil pessoas por ano e sua área de vegetação cumpre importante papel ecológico na Região Metropolitana de Porto Alegre – Crédito: Fundação Zoobotânica / Divulgação
Zoológico de Sapucaia do Sul é visitado por mais de 700 mil pessoas por ano e sua área de vegetação cumpre importante papel ecológico na Região Metropolitana de Porto Alegre – Crédito: Fundação Zoobotânica / Divulgação 
Cobertura especial da audiência pública realizada no dia 3 de junho na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul para debater a proposta de privatização das unidades de conservação gaúchas. Confira a posição do Governo do Estado, da oposição, de funcionários dos órgãos ambientais e de ambientalistas.

Por Débora Dalmoro
Jornalismo Ambiental / Manhã

A proposta para privatizar parte das unidades de conservação gaúchas colocou a oposição e o movimento ambientalista em pé de guerra com o Palácio Piratini. Entre as possíveis concessões, a do Zoológico de Sapucaia do Sul é a que tem causado maior polêmica. Para debater o assunto, audiência pública foi realizada na Assembleia Legislativa no dia 3 de junho. Esperada com expectativa, a Secretária do Meio Ambiente, Ana Pellini, não compareceu, mas mandou representante. Continue lendo A polêmica proposta de privatização do Zoo de Sapucaia do Sul (RS)

Lara Ely: “A pauta ambiental é transversal”

Lara Corrêa Ely é graduada em Jornalismo pela Famecos/PUCRS e tem mestrado na mesma faculdade com projeto de pesquisa em jornalismo ambiental - Credito: Arquivo Pessoal
Lara Corrêa Ely é graduada em Jornalismo pela Famecos/PUCRS e tem mestrado na mesma faculdade com projeto de pesquisa em jornalismo ambiental – Crédito: Arquivo Pessoal

A jornalista Lara Ely, setorista de meio ambiente do jornal Zero Hora de Porto Alegre (RS), relata nesta entrevista os seus primeiros passos no jornalismo ambiental e fala sobre as dificuldades que enfrenta atuando na área.

Por William Dias
Jornalismo Ambiental / Manhã

Nascida curiosamente em um dia que nevou na cidade de Porto Alegre, no 24 de agosto de 1984, Lara Corrêa Ely começou a “carreira” de jornalista no jornal do colégio, o Alarido, onde escrevia poesias, notícias sobre as gincanas que organizava, olimpíadas e temas variados. Selecionada na promoção “Seja jornalista por um dia”, com 11 anos publicou pela primeira vez no jornal Zero Hora. Lembra como se fosse hoje da acolhida que recebeu na redação do jornalista Carlos Urbim (1948-2015), um dos melhores textos da imprensa gaúcha. Naquele dia a pequena Lara virou jornalista. Continue lendo Lara Ely: “A pauta ambiental é transversal”

Um pedaço da Mata Atlântica em Porto Alegre

Propriedade Cabanha Costa do Cerro - Crédito: Marcella Schaurich
Propriedade Cabanha Costa do Cerro – Crédito: Marcella Schaurich

Um lugar calmo, limpo e com ar puro. Parece impossível, mas é realidade. Por mais que os porto-alegrenses tenham que, diariamente, lutar contra a poluição urbana, ainda existe lugares que nos fazem acreditar que é possível viver sem ela. A Cabanha Costa do Cerro é um deles.

Por Marcella Schaurich
Jornalismo Ambiental / Noite

Nove horas da manhã, céu azul, o som das cavalgadas, o canto dos passarinhos e o ronco do bugio, assim somos recebidos. Localizada na Estrada da Taquara, bairro Lami em Porto Alegre, está a primeira Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) da cidade, Costa do Cerro, reconhecida pelo Ibama, desde 2000, como área de grande relevância ambiental e beleza cênica ímpar do Morro São Pedro. Continue lendo Um pedaço da Mata Atlântica em Porto Alegre

Quando se trata de saúde, o barato sai mais caro

Feira do Bom fim, realizada todos os sábados, das 07:00 às 13:00 - Crédito: Clícia Duarte
Feira do Bom fim, realizada todos os sábados, das 07:00 às 13:00 – Crédito: Clícia Duarte
Do interior para a cidade grande, feira ecológica resiste à pressão do mercado e mantém seu objetivo: trazer qualidade e saúde à sociedade porto-alegrense.

Por Clícia Duarte
Jornalismo Ambiental / Noite

As feiras ecológicas da capital, que acontecem nos bairros Três Figueiras, Menino Deus, Bom Fim (Redenção), Tristeza e Petrópolis, são uma pequena demonstração de que é possível levar uma vida sem consumir agrotóxicos. E o mais incrível é que os organizadores sentem prazer em desenvolver os produtos totalmente orgânicos. Continue lendo Quando se trata de saúde, o barato sai mais caro

Caio Lustosa: mais de quatro décadas militando pelo meio ambiente

Caio Lustosa, 88 anos, e seu gato “Bianco” na biblioteca de sua casa - Crédito: Arquivo pessoal
Caio Lustosa, 88 anos, e seu gato “Bianco” na biblioteca de sua casa – Crédito: Arquivo pessoal

Um dos mais fiéis ativistas da causa ambiental no Rio Grande do Sul conta suas memórias de lutas em favor do ambiente. E reforça às novas gerações que ainda há muitas batalhas a serem travadas.

Por Lucille Gonçalves Soares
Jornalismo Ambiental / Noite

A pequena televisão de modelo antigo no canto da sala contrasta com a pilha de jornais sobre a mesinha de centro, deixando claro pra quem chega que o dono da casa é frequente leitor. Ainda mais em um lugar que possui duas bibliotecas repletas de livros, dos mais variados autores. Mas não há nenhum espanto em relação a todo esse gosto pelo saber, quando conhecemos o senhor de oitenta e oito anos que habita esta residência, Caio Lustosa, jornalista, advogado e ambientalista, homem que se engajou na vida política e na causa a favor do meio ambiente, e que há mais de quarenta anos está nessa luta. Continue lendo Caio Lustosa: mais de quatro décadas militando pelo meio ambiente

A plantação que transformou a Casa de Cultura Mario Quintana  

Jardim Lutzenberger localizado no quinto andar da Casa de Cultura Mario Quintana, na região central de Porto Alegre (RS) - Crédito: Thuane Liesenfeld
Jardim Lutzenberger localizado no quinto andar da Casa de Cultura Mario Quintana, na região central de Porto Alegre (RS) – Crédito: Thuane Liesenfeld 

Destacando a poesia inerente à natureza, o Jardim Lutzenberger cultiva de forma inusitada diferentes espécies de plantas e tem atraído cada vez mais a atenção do público no 5º andar da Casa de Cultura Mario Quintana em Porto Alegre (RS).

Por Thuane Liesenfeld
Jornalismo Ambiental / Manhã

Um ”oásis” no centro urbano. Um “éden” em Porto Alegre. Entre vários outros apelidos, assim é chamado o Jardim Lutzenberger – um dos principais espaços da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ). Provando que mesmo em áreas urbanas se pode abrigar uma ampla gama de espécies, com uma diversidade de coleções e ambientes botânicos, representativos de banhados, desertos, pradarias e trópicos, o local tem este nome em homenagem ao agrônomo e ambientalista gaúcho que participou ativamente do movimento ecológico brasileiro. Continue lendo A plantação que transformou a Casa de Cultura Mario Quintana