Todos os posts de roberto_belmonte

Faculdade de Publicidade e Propaganda

Estudantes de Jornalismo conhecem o legado de Lutzenberger

Os acadêmicos do curso de Jornalismo da Faculdade de Comunicação da UniRitter visitaram, no sábado, dia 10 de maio de 2014, uma área de 30 hectares de reserva natural recuperada pelo agrônomo e ecologista gaúcho José Antônio Lutzenberger. O Rincão Gaia, localizado em Pantano Grande, propôs aos 14 estudantes presentes, a maioria alunos da disciplina de jornalismo ambiental, uma experiência sobre meio ambiente e ecologia.

Estudantes de Jornalismo da UniRitter durante visita ao Rincão Gaia realizada neste sábado, 10 de maio, como atividade complementar da disciplina de jornalismo ambiental – Crédito: Victória Kubiaki
Estudantes de Jornalismo da UniRitter visitam Rincão Gaia, no dia 10 de maio, como atividade complementar da disciplina de jornalismo ambiental – Crédito: Victória Kubiaki

Continue lendo Estudantes de Jornalismo conhecem o legado de Lutzenberger

LARA LUTZENBERGER |Promovendo uma revolução cultural

Lara Lutzenberger: “Através da educação ambiental é possível reaproximar a sociedade da natureza” - Crédito: Arquivo Pessoal

Lara Lutzenberger: “Através da educação ambiental é possível reaproximar a sociedade da natureza” – Crédito: Arquivo Pessoal

A educação ambiental e a promoção de tecnologias brandas socialmente compatíveis são as áreas de atuação da Fundação Gaia dirigida por Lara Lutzenberger. Sua dedicação à entidade expressa o orgulho e a gratidão pelo legado deixado por seu pai, o ecologista José Lutzenberger, falecido em 2002, e pela responsabilidade que acredita ter na construção de um mundo mais equilibrado, ético e saudável, revela nesta entrevista exclusiva concedida ao blog da disciplina de Jornalismo Ambiental da UniRitter.

Por Hellen Borges
Jornalismo Ambiental/Manhã

Como surgiu a ideia de dar seguimento ao trabalho da Fundação Gaia criada por seu pai?
Lara Lutzenberger: Foi um processo que se iniciou ainda em 1987, quando eu tinha 17 anos e passei a secretariar o meu pai, depois participando nos diferentes grupos de trabalho da Fundação Gaia até assumir o papel de coordenação e vice-presidência. Isso fez com que, na partida dele, eu me sentisse na obrigação moral de dar continuidade ao que tínhamos realizado juntos, ele, sua equipe toda e eu.

Como se sente dando continuidade ao trabalho de seu pai?
Lara Lutzenberger: Tem sido um desafio constante e muito grande para mim. A Fundação Gaia é cronicamente carente de recursos financeiros e, por decorrência, também humanos. Tenho conciliado essa missão com demandas domésticas e familiares expressivas. Mas o faço com imensa dedicação, como expressão do meu orgulho e da minha gratidão por este legado bonito que o pai construiu e pela responsabilidade que entendo termos, cada um de nós, com a construção de um mundo mais equilibrado, ético e saudável. Continue lendo LARA LUTZENBERGER |Promovendo uma revolução cultural