Sufoco para monitorar a qualidade do ar de Porto Alegre

Faixa escura que coroa de poluição a região norte da capital gaúcha em um dia de inversão térmica, fenômeno que dificulta a dispersão dos poluentes atmosféricos. – Crédito: Aline Luísa Bisol
O Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) entende que os estados são obrigados a fazer o monitoramento do ar. No Rio Grande do Sul, a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) é a responsável legal pelo controle de poluição, porém, os boletins que deveriam ser atualizados diariamente apresentam ‘dados insuficientes’ no site, pois todos os equipamentos estaduais estão sucateados.

Por Aline Luísa Bisol, Cissa Grissuti e Eduardo Müller
Jornalismo Ambiental – Campus Fapa / Noite

“Se tu perguntar hoje qual a situação da qualidade do ar de Porto Alegre, a Fepam não tem condições de responder”. A revelação é do coordenador da Rede Ar do Sul, chefe do PROAR da Fundação Estadual de Proteção Ambiental, Márcio D´Ávila. “O governo enxugou recursos que não sejam específicos do seu plano de governo. Dependemos dos interesses políticos”, lamenta, referindo-se ao repasse da verba de R$ 1,5 milhão aprovada pelo Fundo Estadual do Meio Ambiente, em 2015, que foi revogada. Continue lendo Sufoco para monitorar a qualidade do ar de Porto Alegre

Os apelos da maquiagem verde

Charge reproduz o comportamento das empresas em maquiar seus reais interesses – Crédito: Bogoricin Prime / Reprodução
Empresas utilizam artifícios para mascarar seus produtos, obter uma imagem sustentável no mercado e esconder os problemas que causam ao meio ambiente.

Por Luka Pumes, Lorenzo Albella e Rafael Martins
Jornalismo Ambiental – Campus Fapa / Noite

O consumidor frequentemente é exposto à maquiagem verde de algum produto. Este processo é conhecido internacionalmente como greenwashing (ou lavagem verde, em tradução livre). Ele é praticado por empresas ou indústrias que tentam mascarar produtos e ações para o público. Consiste na divulgação de anúncios e campanhas publicitárias para construir uma imagem ecologicamente correta para processos sujo. Ou seja, propaganda enganosa, onde uma imagem é passada, porém, com uma realidade bem diferente.

Entre 2010 e 2014, a quantidade de produtos que se autodeclaram “verdes” cresceu quase cinco vezes (478%) no Brasil e o número total de embalagens com sinais e mensagens indicando posturas simpáticas com o meio ambiente disponíveis para o consumidor cresceu três vezes (296%), de acordo com a segunda edição da pesquisa sobre Greenwashing publicada pela Market Analysis em 2015. Cosméticos e produtos de higiene lideram a lista da maquiagem verde no mercado brasileiro.

Continue lendo Os apelos da maquiagem verde

Poa com bituca

 

Comumente jogadas no chão, as bitucas de cigarro são nocivas ao meio ambiente – Crédito: Osmar Martins
O projeto Poa Sem Bituca desenvolvido pelo empresário Flávio Leite, em 2015, foi interrompido devido à falta de apoio. O descarte inapropriado dos tocos de cigarro gera problemas ambientais.

Por Jean Costa, Osmar Martins e Rafael Costa
Jornalismo Ambiental – Campus Fapa / Noite

É muito comum ver, ao andar pelas ruas, centenas de bitucas se decompondo no chão ou na terra de canteiros. Baseando-se no descarte indevido desses resíduos, o empresário Flávio Leite apresentou, em 2015, a ideia do Poa Sem Bituca. A ação desenvolvida pelo dono da empresa EcoPráticas consistia em espalhar bituqueiras pela cidade onde o descarte do cigarro teria um fim adequado. O projeto nasceu após Leite fazer uma pesquisa na qual apontou que não havia um destino correto para a remoção das bitucas, o que prejudicava ainda mais o meio ambiente.

Continue lendo Poa com bituca

Os orgânicos na cooperativa Pão da Terra

Produtor rural José Mathias colhendo hortigranjeiros para levar às feiras ecológicas da cidade de Porto Alegre. – Crédito: Leilane Beck
A reportagem do blog de Jornalismo Ambiental da UniRitter visitou a produção de orgânicos de uma das famílias ligadas à Cooperativa Pão da Terra para conhecer de perto os alimentos vendidos nas feiras de Porto Alegre.

Por Leilane Beck
Jornalismo Ambiental – Campus Fapa / Manhã

O produtor rural José Mathias vende pão e legumes sem agrotóxicos na feira de alimentos orgânicos que acontece todas as quartas dentro da sede da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Irrigação, no bairro Menino Deus, em Porto Alegre. Durante entrevista concedida ao blog de Jornalismo Ambiental da UniRitter, ele convidou a reportagem para conhecer sua produção em Eldorado do Sul. Continue lendo Os orgânicos na cooperativa Pão da Terra

Não há para onde correr!

Más condições ambientais causam 12,6 milhões de mortes por ano no planeta. Décadas de poluição fizeram com que o homem transformasse a Terra em um lugar perigoso à sua própria saúde. E agora?

Por Orlando A. Moraes
Jornalismo Ambiental – Campus Zona Sul / Noite

Acidentes vasculares cerebrais, doenças isquêmicas, diarreicas, câncer, infecções e até quadros de depressão. A lista de doenças ligadas direta ou indiretamente ao meio ambiente só não é maior do que a de pessoas afetadas por elas em todos os cantos do globo terrestre. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), são 12,6 milhões de mortes causadas por más condições ambientais no planeta. E as causas variam, indo desde presumíveis problemas pulmonares até impensáveis enfermidades psíquicas. Continue lendo Não há para onde correr!

Tratamento de esgoto ainda é insuficiente em Porto Alegre

 

Estação de Tratamento de Esgoto São João/Navegantes – Crédito: Karine Pinheiro
Visita à estação de tratamento de esgoto ajuda a entender os desafios da capital gaúcha para atingir a excelência do serviço.

Por Geila Passos, Karine Pinheiro e Márcia Santos
Jornalismo Ambiental – Campus Zona Sul / Noite

A universalização do acesso ao saneamento básico, garantida pela lei 11.445/2007, é uma meta que está prevista para ser alcançada até 2035 em Porto Alegre. As justificativas para isso são de que além de não existir verba suficiente, não é fisicamente possível construir ou ampliar as Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) em tão pouco tempo. Uma visita a ETE São João/Navegantes facilita o entendimento do atual quadro do saneamento na capital gaúcha. Continue lendo Tratamento de esgoto ainda é insuficiente em Porto Alegre

Na realidade preto e branco, o verde dá cor à ocupação Terra Nossa

Famílias lutam para regularizar área ocupada há cinco anos nas proximidades do campus Fapa da UniRitter – Crédito: Leonardo Ferreira

O drama das famílias que vivem sem saneamento em ocupação na zona leste de Porto Alegre (RS).

Por Jessica Laguna, Leonardo Ferreira e Leonardo Nunes
Jornalismo Ambiental – Campus Fapa / Noite

A ocupação Terra Nossa nasceu dia 11 de janeiro de 2012. Localizada na rua 22 de Novembro, no bairro Passo das Pedras, Zona Leste de Porto Alegre (RS), ela foi formada por pessoas em situação de vulnerabilidade social em busca de um lugar digno para viver. Mesmo com condições precárias de saneamento, ela atualmente é a solução para cerca de 400 famílias. Nas habitações construídas em local de risco há falta de água, luz e esgoto. Continue lendo Na realidade preto e branco, o verde dá cor à ocupação Terra Nossa

A polêmica revitalização do Cais Mauá

Armazéns do Cais de Porto Alegre devem ser modificados de acordo com o projeto de revitalização – Crédito: Leticia Szczesny
O projeto de revitalização do Cais Mauá em Porto Alegre vem gerando debates sobre os efeitos das obras propostas. A Associação Amigos do Cais Mauá (Amacais) questiona o empreendimento, mas há quem apoie o novo complexo comercial planejado para ser um local de lazer.

Por Gabriel Alves, Leticia Szczesny, Taina Flores e Vinicius Moura
Jornalismo Ambiental – Campus Fapa / Manhã

O Cais Mauá de Porto Alegre, patrimônios histórico  nacional e municipal, está gerando diversos debates devido ao seu projeto de revitalização. Em 2010, o  consórcio Cais Mauá do Brasil S.A venceu a concorrência e apresento sua proposta para que os armazéns centrais sejam restaurados para receber atividades culturais, hotéis, terminal de passageiros e até um shopping. O grupo é constituído pela GSS Holding com 51% das ações, pela NSG Capital com 39% e o Grupo Bettin com 10%. Existem, porém, questionamentos em relação aos efeitos ambientais, culturais e econômicos das obras.

Continue lendo A polêmica revitalização do Cais Mauá

Braskem apresenta Polo de Triunfo a estudantes de jornalismo ambiental

Estudantes de jornalismo da UniRitter de Porto Alegre percorreram de ônibus parte do Polo Petroquímico de Triunfo – Crédito: Roberto Villar Belmonte
Alunos da disciplina de jornalismo ambiental do campus Fapa da UniRitter participaram de uma visita técnica ao Polo Petroquímico de Triunfo promovida pela Braskem no dia 2 de junho, véspera da Semana do Meio Ambiente.

Por Niége Moreira
Jornalismo Ambiental – Campus Fapa / Manhã

É a “Braskem das pessoas” e “do meio ambiente” que os alunos das turmas de jornalismo ambiental, do Centro Universitário Ritter dos Reis foram convidados a conhecer, segundo o engenheiro químico João Ruy Dornelles Freire, diretor de Assuntos Institucionais da Braskem. Continue lendo Braskem apresenta Polo de Triunfo a estudantes de jornalismo ambiental

“Política Nacional de Resíduos Sólidos é lida de ponta-cabeça”

Caminhão a serviço da prefeitura de Porto Alegre – Crédito: Sidd Rodrigues
Em audiência pública sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos, Daniel Martini, promotor do Ministério Público do Rio Grande do Sul, afirmou que, em sua maioria, gestores municipais não seguem o que diz a lei de 2010.

Por Daniela Knevitz
Jornalismo Ambiental – Campus Fapa / Noite

Em de 2 de agosto de 2010, foi sancionada a Lei Nº 12.305 que trata da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Ela determina a prevenção e a redução na geração de resíduos, tendo como proposta a prática de hábitos de consumo sustentável e um conjunto de instrumentos para propiciar o aumento da reciclagem e da reutilização dos resíduos sólidos (aquilo que tem valor econômico e pode ser reciclado ou reaproveitado), além da destinação ambientalmente adequada dos rejeitos (aquilo que não pode ser reciclado ou reutilizado). A lei institui, ainda, a responsabilidade compartilhada dos geradores de resíduos: fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes, cidadãos e titulares de serviços de manejo dos resíduos sólidos urbanos na Logística Reversa, dos resíduos e embalagens pré e pós-consumo. Continue lendo “Política Nacional de Resíduos Sólidos é lida de ponta-cabeça”