Juremir Machado da Silva | O planeta é a nossa casa

Juremir Machado da Silva, colunista do jornal Correio do Povo - Crédito: Arquivo Pessoal
Juremir Machado da Silva, colunista do jornal Correio do Povo – Crédito: Arquivo Pessoal

É necessário que o tema ambiental tenha maior relevância na mídia para que o público tenha compreensão de que tudo que está ao redor tem a ver com meio ambiente. Mas se é tão importante assim por que as mídias não dão maior espaço para o assunto? Nesta entrevista, o colunista do Correio do Povo Juremir Machado da Silva fala dos reflexos que a ecologia poderia causar se a questão fosse mais abordada e o porquê disso não ocorrer.

Por Sara Munhoz – Jornalismo Ambiental / Noite

Qual a tua opinião sobre o  jornalismo ambiental como especialização do jornalismo?
Juremir Machado da Silva – Eu acho que o Jornalismo é um só, ainda que, claro, existam editorias e pessoas que se especializam num tipo de assunto ou cobertura. A meu ver o jornalismo ambiental hoje é muito importante, tanto na escala dos grandes assuntos, das catástrofes e tudo mais, mas também nas pequenas coisas do dia a dia. Porque a defesa do meio ambiente é uma das coisas mais importantes da atualidade.

Se a mídia tivesse dado mais atenção, as árvores que foram removidas para a ampliação da avenida Beira Rio em Porto Alegre, nas proximidades do Gasômetro, ainda estariam lá?
Juremir Machado da Silva – Claro! Outro exemplo: eu acho que deveria ter muito mais matérias no momento nos jornais gaúchos sobre o corte das árvores do Hospital de Clínicas. É uma situação onde se enfrentam dois princípios igualmente importantes. De um lado a necessidade de ampliar o hospital, fundamental e indiscutível, e de outro lado a questão da preservação das árvores de um dos bosques mais interessantes do centro de Porto Alegre. Não haveria uma solução? Uma maneira de ampliar o hospital e não derrubar as árvores? Não seria possível enxergar uma outra saída? Isso o jornalismo ambiental deveria estar cuidando. É o tipo de jornalismo que se necessita até certo ponto ter um engajamento social. Um compromisso com a natureza pelo bem que ela faz para sociedade.

E por que não está?
Juremir Machado da Silva – Acho que o jornalismo, no Brasil, ainda não está suficientemente consciente da importância de fazer reportagens que defendam a preservação da natureza.

A nossa problemática ambiental seria melhor resolvida se os veículos de comunicação abordassem mais o tema?
Juremir Machado da Silva – Com certeza. Os veículos precisam se engajar nas causas ambientais, tanto quanto eles se engajam nas causas esportivas. É preciso conseguir patrocinadores que dêem cobertura para esse tipo de jornalismo. É preciso fazer com que a sociedade perceba o quanto isso é importante na nossa vida no dia a dia, não é uma bobagem, não é uma futilidade, não é um assunto qualquer, pelo contrário, é um dos mais importantes.

“Os veículos precisam se engajar nas causas ambientais, tanto quanto eles se engajam nas causas esportivas”

 

E então por que ele é deixado de lado?
Juremir Machado da Silva – Porque há uma longa tradição de desinteresse pela natureza, como se ela fosse menos importante, um empecilho. A ecologia ainda é muito recente. A consciência ecológica ainda é muito recente. Nós vivemos num país que até pouco tempo era um continente vasto de verde, quase uma selva, então se achava que tinha natureza em quantidade suficiente para destruir sempre e agora não é mais assim. Então precisa perceber que a natureza se esgota, tem limite e que é preciso preservá-la.

A questão econômica é um dos motivos para que o assunto não desenvolva?
Juremir Machado da Silva – É, tem a grande questão econômica. Têm aqueles que ganham muito dinheiro destruindo a natureza, especulação imobiliária e por aí afora e que veem na natureza um obstáculo. Eu conheço gente que quer derrubar as palmeiras da Osvaldo Aranha para construir mais pistas por que quer andar rápido, porque o carro deve ser soberano. Toda uma concepção de mundo que precisa mudar e que o jornalismo pode ajudar a mudar.

Então, o que um jornalista pode fazer pelo meio ambiente?
Juremir Machado da Silva – A primeira tarefa de um jornalista é compreender a importância do meio ambiente. Compreender que o meio ambiente é a sua casa e que a casa da gente a gente cuida. Eu não quero que destruam a sala da minha casa. E eu não quero que destruam as árvores da sala da minha casa que é a cidade onde eu moro. O planeta é a nossa casa e nós precisamos compreender que ele depende de nós. Nós dependemos dele e ele de nós. Quanto mais nós acharmos que é apenas uma árvore, que é apenas um pedacinho de natureza, que tem muito ainda, nós vamos estar deixando de compreender o quanto a preservação dessas pequenas partes é decisiva para o equilíbrio do todo.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *