Todos os posts de roberto_belmonte

Faculdade de Publicidade e Propaganda

LUCIO BRUSCH | Somos viciados em energia

“Não paramos para pensar, mas somos viciados em energia”, alerta nesta entrevista o mestre em Engenharia Ambiental Lucio Renato de Fraga Brusch, coordenador do curso de Engenharia Sanitária e Ambiental do Centro Universitário Ritter dos Reis (UniRitter).
Parque Eólico de Osório – Crédito: Anderson Aires
Parque Eólico de Osório – Crédito: Anderson Aires

Continue lendo LUCIO BRUSCH | Somos viciados em energia

Giovana Souza Freitas | Uma conversa sobre energias renováveis

“As modificações na matriz energética brasileira e as implicações para o desenvolvimento socioeconômico e ambiental” é o título do livro publicado no ano passado, pela Editora UniRitter, por Giovana Souza Freitas, professora no curso de Ciências Contábeis do Centro Universitário Ritter dos Reis (UniRitter). A autora, que possui doutorado em Economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, fala sobre a atual realidade das energias renováveis no Brasil nesta entrevista concedida a Carlos Redel e Kyane Sutelo, alunos da disciplina de Jornalismo Ambiental/Noite.
Profa. Dra. Giovana Souza Freitas - Crédito: Arquivo Pessoal
Profa. Dra. Giovana Souza Freitas – Crédito: Arquivo Pessoal
“Aqui no Brasil, verificamos que potencial existe, conhecimento existe, o que falta mesmo é uma intensificação no nível de recursos, no nível de investimentos, para que realmente essa modificação na matriz energética aconteça.”

Continue lendo Giovana Souza Freitas | Uma conversa sobre energias renováveis

Conhecendo a sede do órgão ambiental do Rio Grande do Sul

Um grupo de 14 alunos do quinto semestre do curso de Jornalismo da UniRitter visitou na manhã do dia 28 de maio a sede da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) e da Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler (Fepam).

Anderson Aires e Letícia Bonato
Jornalismo Ambiental/Manhã

Durante a atividade da disciplina de jornalismo ambiental, os estudantes tiveram a oportunidade de conversar com o presidente da Fepam, Nilvo Silva, com o diretor do Departamento de Recursos Hídricos da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), Marco Mendonça, e com os assessores de comunicação Lena Annes e Hélio Gama Neto.

Estudantes de jornalismo ambiental da UniRitter tiveram aula no Edifício União, nova sede do órgão ambiental do Rio Grande do Sul – Crédito: Roberto Villar Belmonte
Estudantes de jornalismo ambiental da UniRitter tiveram aula no Edifício União, nova sede do órgão ambiental do Rio Grande do Sul – Crédito: Roberto Villar Belmonte

Continue lendo Conhecendo a sede do órgão ambiental do Rio Grande do Sul

JEFFERSON SIMÕES | RS vulnerável às mudanças ambientais globais

Alunos da Engenharia, Arquitetura e Design participaram da Aula Magna do Ph.D. em Glaciologia Jefferson Cardia Simões no auditório Master da UniRitter dia 11 de abril – Crédito: Adriano Ribeiro

Alunos da Engenharia, Arquitetura e Design na Aula Magna do Ph.D. em Glaciologia Jefferson Cardia Simões no auditório Master da UniRitter dia 11 de abril – Crédito: Adriano Ribeiro

“Cada vez mais a comunidade científica está preocupada com a adaptação e redução de vulnerabilidade às mudanças ambientais globais”, alertou Jefferson Cardia Simões, pesquisador líder do Programa Antártico Brasileiro (Proantar) e integrante da Academia Brasileira de Ciências (ABC) durante Aula Magna da Faculdade de Engenharia realizada na noite de sexta-feira, 11 de abril, no auditório Master da UniRitter em Porto Alegre (RS).

Adriano Ribeiro e Jordana Laguna
Jornalismo Ambiental/Noite

“Crônica do Gelo: reconstruindo a história ambiental do planeta a partir da Antártica” foi o tema da Aula Magna. Participaram alunos dos cursos de Engenharia, Arquitetura e Design. Jefferson Simões explicou a diferença entre efeito estufa (um fenômeno natural que vem sendo intensificado pelas emissões antrópicas), aquecimento global e mudanças climáticas, ressaltando que a mudança do clima é uma parte das “mudanças ambientais globais”. Continue lendo JEFFERSON SIMÕES | RS vulnerável às mudanças ambientais globais

Poluição do Guaíba

Reportagem sobre a poluição do lago Guaíba realizada pelos alunos de Jornalismo Ambiental/Noite Bernardo Figueira, Cristielle Valle, Roberta Brum e Shállon Teobaldo, editada com apoio de Thiago Pedruzzi, do estúdio de televisão da UniRitter.

O lago Guaíba é a maior fonte de água doce da capital gaúcha, responsável pelo abastecimento para toda a cidade de Porto Alegre. Porém, devido a fatores como esgotos, contaminação por agrotóxicos, lixo e resíduos industriais, a água sua água está totalmente suja e poluída. Continue lendo Poluição do Guaíba

Inteligência e sustentabilidade

ENTREVISTA:
Kathia Vasconcellos Monteiro

Kathia Vasconcellos Monteiro ajudou a criar o Instituto Augusto Carneiro, entidade que leva o nome de um dos fundadores do movimento ecológico gaúcho - Crédito: Carolline Tavares
Kathia Vasconcellos Monteiro ajudou a criar o Instituto Augusto Carneiro, entidade que leva o nome de um dos fundadores do movimento ecológico gaúcho – Crédito: Carolline Tavares
Kathia Maria Vasconcellos Monteiro, 52 anos, trabalha em entidades ambientalistas há mais de 25 anos e atualmente atua no Instituto Augusto Carneiro fundado no final de 2010 por um grupo pequeno de ambientalistas para tentar fazer uma abordagem ambiental de forma diferente, não só com um viés ideológico, mas técnico também.
Nesta entrevista exclusiva concedida ao blog de Jornalismo Ambiental da UniRitter, Kathia fala sobre a importância da luta ambiental e do compromisso de cada um em agir de modo ambientalmente responsável. “O meio ambiente é de todos nós e precisamos mudar imediatamente para construir um futuro sustentável”, defende a ecologista.

Por Carolline Tavares e Hellen Borges
Jornalismo Ambiental/Manhã

Como é possível incentivar uma mudança de postura do ponto de vista ambiental?
Kathia Vasconcellos: Alguns assuntos podem ser abordados nas escolas, para criar um hábito como desligar a torneira enquanto se escova os dentes, ou poupar energia elétrica porque a geração gera um impacto ambiental gigantesco, seja com o desmatamento, para a construção de grandes represas hidroelétricas, seja pela energia nuclear ou dos combustíveis fósseis. Se a gente conseguir diminuir o consumo de energia numa quantidade razoável vamos precisar gerar menos. As pessoas também têm dificuldades de entender a importância do uso racional da água nas suas rotinas diárias. Precisamos de mais material educativo e espaços para discussão, saber onde achar informação confiável. Para o lixo, a visitação a cooperativas funciona com os jovens, eles se encontram através de uma realidade que nunca lhes foi mostrada anteriormente, facilitando ou iniciando um pensamento de mudança de postura. Continue lendo Inteligência e sustentabilidade

Cosméticos: a indústria sabe o que está vendendo, mas o consumidor não sabe o que está usando

Entre as opções possíveis de cosméticos, as informações nem sempre são claras. Com foco nas maquiagens, saber qual a origem de cada produto pode ajudar na escolha.

Texto: Liliane Pereira e Vanessa Magnani
Reportagem: Débora Pires, Gabriele Torbis, Liliane Pereira, Renata Scheidt e Vanessa Magnani – Jornalismo Ambiental/Manhã

Os primeiros registros de uso da maquiagem são relacionados aos antigos feiticeiros, às pinturas de guerra e à demonstração de hierarquia entre as tribos. Na civilização egípcia, homens e mulheres pintavam os olhos para destacar o olhar. No período da monarquia produtos como o pó-de-arroz e pomadas coloridas já eram utilizados por reis, rainhas e pela aristocracia.

Conforme Daniel Dias, graduado no curso de história pela Universidade Luterana do Brasil, foi no Egito que a maquiagem se tornou um ritual de beleza diário. “É lá que se encontram os primeiros sinais do uso de cosméticos”, explica em entrevista ao blog de Jornalismo Ambiental da UniRitter. Continue lendo Cosméticos: a indústria sabe o que está vendendo, mas o consumidor não sabe o que está usando

Estudantes de Jornalismo conhecem o legado de Lutzenberger

Os acadêmicos do curso de Jornalismo da Faculdade de Comunicação da UniRitter visitaram, no sábado, dia 10 de maio de 2014, uma área de 30 hectares de reserva natural recuperada pelo agrônomo e ecologista gaúcho José Antônio Lutzenberger. O Rincão Gaia, localizado em Pantano Grande, propôs aos 14 estudantes presentes, a maioria alunos da disciplina de jornalismo ambiental, uma experiência sobre meio ambiente e ecologia.

Estudantes de Jornalismo da UniRitter durante visita ao Rincão Gaia realizada neste sábado, 10 de maio, como atividade complementar da disciplina de jornalismo ambiental – Crédito: Victória Kubiaki
Estudantes de Jornalismo da UniRitter visitam Rincão Gaia, no dia 10 de maio, como atividade complementar da disciplina de jornalismo ambiental – Crédito: Victória Kubiaki

Continue lendo Estudantes de Jornalismo conhecem o legado de Lutzenberger

LARA LUTZENBERGER |Promovendo uma revolução cultural

Lara Lutzenberger: “Através da educação ambiental é possível reaproximar a sociedade da natureza” - Crédito: Arquivo Pessoal

Lara Lutzenberger: “Através da educação ambiental é possível reaproximar a sociedade da natureza” – Crédito: Arquivo Pessoal

A educação ambiental e a promoção de tecnologias brandas socialmente compatíveis são as áreas de atuação da Fundação Gaia dirigida por Lara Lutzenberger. Sua dedicação à entidade expressa o orgulho e a gratidão pelo legado deixado por seu pai, o ecologista José Lutzenberger, falecido em 2002, e pela responsabilidade que acredita ter na construção de um mundo mais equilibrado, ético e saudável, revela nesta entrevista exclusiva concedida ao blog da disciplina de Jornalismo Ambiental da UniRitter.

Por Hellen Borges
Jornalismo Ambiental/Manhã

Como surgiu a ideia de dar seguimento ao trabalho da Fundação Gaia criada por seu pai?
Lara Lutzenberger: Foi um processo que se iniciou ainda em 1987, quando eu tinha 17 anos e passei a secretariar o meu pai, depois participando nos diferentes grupos de trabalho da Fundação Gaia até assumir o papel de coordenação e vice-presidência. Isso fez com que, na partida dele, eu me sentisse na obrigação moral de dar continuidade ao que tínhamos realizado juntos, ele, sua equipe toda e eu.

Como se sente dando continuidade ao trabalho de seu pai?
Lara Lutzenberger: Tem sido um desafio constante e muito grande para mim. A Fundação Gaia é cronicamente carente de recursos financeiros e, por decorrência, também humanos. Tenho conciliado essa missão com demandas domésticas e familiares expressivas. Mas o faço com imensa dedicação, como expressão do meu orgulho e da minha gratidão por este legado bonito que o pai construiu e pela responsabilidade que entendo termos, cada um de nós, com a construção de um mundo mais equilibrado, ético e saudável. Continue lendo LARA LUTZENBERGER |Promovendo uma revolução cultural